Artigos

Anápolis sediará maior Centro de Excelência de Tecnologia Ferroviária da América Latina

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

“É algo inédito o que está sendo construído aqui e será, indiscutivelmente, um grande polo de inovação e de pesquisa”, anuncia governador Ronaldo Caiado durante vistoria ao local. Investimentos devem chegar a R$ 60 bilhões em 30 anos para implantação e manutenção do projeto, via fundo da Agência Nacional de Transportes Terrestres

 

O governador Ronaldo Caiado vistoriou, nesta sexta-feira (21/08), a área que abrigará o Centro de Excelência de Tecnologia Ferroviária, em Anápolis. Os investimentos devem chegar a R$ 60 bilhões em 30 anos. Será o maior complexo tecnológico e de inovação deste setor de transportes da América Latina, resultado de parceria entre Governo de Goiás, responsável pela execução da obra, e Ministério da Infraestrutura (Minfra). “É algo inédito o que está sendo construído aqui e será indiscutivelmente um grande polo. Vamos promover a integração com aquilo que nós já temos, que são rodovias e ferrovias federais, o porto seco e toda uma infraestrutura local no Estado, que é o coração do País”, declarou.
O Centro de Excelência será implantado no Centro de Convenções de Anápolis, local que recebeu a visita técnica do governador, acompanhado pelo secretário Nacional de Transportes Terrestres do Minfra, Marcelo da Costa Vieira, e pelo secretário-geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima. “Queremos, até o final do ano, estarmos bem avançados aqui, para podermos transformá-lo em um centro de referência, fechando [o projeto] com chave de ouro”, completou Caiado
 
Considerado pelo governador um marco para a cidade de Anápolis, o Centro de Excelência em Tecnologia Ferroviária contará com recursos das concessionárias de ferrovias no Brasil, depositados em um fundo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A expectativa é de que entre R$ 10 milhões a R$ 20 milhões do fundo sejam investidos na sua implantação e manutenção com o objetivo de atender todas as concessionárias do Brasil, como a Rumo e a Vale do Rio Doce. 
 
Caiado frisou que a ideia vai ao encontro da proposta do presidente Jair Bolsonaro de priorizar as ferrovias como meio de transporte no País, um modelo que estava parado há mais de 30 anos. “Esse é o maior presente que o presidente, junto com o ministro Tarcísio e o Governo de Goiás, dará à cidade de Anápolis. Já presenteamos com a licitação da ferrovia Norte-Sul e também com a duplicação da rodovia BR-153, de Anápolis até Porangatu”, citou.
 
O governador aposta que o projeto mudará o perfil de Anápolis e proporcionará ao município uma alavancada econômica. “Vamos ver expandir a oportunidade de empregos para engenheiros na área de ferrovias, o que quase não existe hoje no País. Mas também em todas as áreas: seja no comércio, formação de jovens e congressos, já que todos ocorrerão aqui. Teremos o instituto que está fazendo a pesquisa, e todas as empresas ferroviárias do País e da América Latina que quiserem desenvolver suas tecnologias terão aqui esse centro específico de excelência para poderem colocar em prova aquilo que estão sugerindo para o mercado”, considerou.
 
Andamento
De acordo com o secretário Nacional de Transportes Terrestres, Marcelo da Costa Vieira, o ano de 2020 é considerado a parte mais importante do projeto, com a definição do escopo. “A gente vai ouvir a academia, sobre o que precisam sobre novas técnicas e área de instalação dos laboratórios para se transformar num centro de excelência. A gente vai ouvir a indústria, qual é a necessidade deles. E, com tudo isso, formatar e disponibilizar a área que nós já temos construída para lotear aquilo que é necessário e fazer o faseamento do projeto”, detalhou. 
 
Ainda conforme Marcelo, a previsão é ter em mãos, no ano que vem, o projeto de engenharia e o desenho arquitetônico definidos e já em implantação. “Imaginamos que, ao longo de 2021, estaremos com o Centro de Excelência já inaugurado e operacional. A expectativa é que, ao longo do tempo de governo que nos resta, possamos devolver o investimento em novas tecnologias, em teste de equipamentos e capacitação de mão de obra”, prospectou.
 
“Estamos escrevendo história aqui na parte logística do Brasil”, disse o secretário-geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima. A perspectiva, prosseguiu, é que sejam dados novos passos no trabalho de reformulação da tecnologia e inovação no Estado, que começou em 2019 com a edição pioneira da Campus Party em Goiás. “Desenvolvemos Parques Tecnológicos em Rio Verde, Centros de Excelência e Inteligência Artificial, o Centro de Excelência em Tecnologia para Agricultura em Rio Verde, município que também receberá o sinal de internet 5”, informou o dirigente. “Aqui em Anápolis, temos o foco logístico. Isso vem compor toda essa rede de inovação, tornando o Estado de Goiás referência mundial e passando a ser inserido no mapa global de informação”, destacou.
 
Na análise de Adriano, Anápolis reúne aspectos positivos para o desenvolvimento, como posição geográfica centralizada e os três modais principais de transporte: o rodoviário, aeroporto de cargas e o ferroviário, que ressurge com toda força. “Tem todo um contexto favorável neste segmento logístico, o que tem atraído empresas de tecnologia desta área. Teremos todo um ecossistema de inovação e tecnologia, de forma a transformar a cidade no maior polo logístico da América Latina, a exemplo do que ocorreu Memphis, nos Estados Unidos”, projetou Adriano.
 
Também participaram da visita a Anápolis, pelo Ministério de Infraestrutura, o diretor do Departamento do Transporte Ferroviário (DTFER/SNTT), Ismael Trinks; o reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Valter Gomes Campos; o gerente dos Parques Tecnológicos da Sedi, Marcelo Alves de Souza, e o superintendente de Capacitação e Formação Tecnológica da Sedi, José Teodoro Coelho.
 
Fonte: Secretaria de Comunicação - Governo de Goiás

Login do Usuário

Tempo Agora

publicidade

publicidade